Quinta-feira, 22 de Novembro de 2007

O texto de que falei

Um dia, quando um homem chegou tarde a casa, cansado e irritado após um dia de trabalho, encontrou, esperando por si à porta, o seu filho de 5 anos.

Papá, posso fazer-te uma pergunta?

Claro que sim. O que é?

Quanto ganhas numa hora?

Isso não é da tua conta. Porque me perguntas isso?! - respondeu o homem,zangado.

Só para saber. Por favor... diz lá... quanto ganhas numa hora? - perguntou novamente o miúdo.

Bom... já que queres tanto saber, ganho 10 euros por hora.

Oh! - suspirou o rapazinho, baixando a cabeça.

Passado um pouco, olhando para cima, perguntou:

Papá, emprestas-me 5 euros?

O pai, furioso, respondeu:

Se a razão de tu me teres perguntado isso, foi para me pedires dinheiro para brinquedos caros ou outro disparate qualquer, a resposta é não! E, de castigo, vais já para a cama. Vai pensando no menino egoísta que estás a ser. A minha vida de trabalho é dura demais para eu perder tempo com os teus caprichos!

O rapazinho, cabisbaixo, dirigiu-se silenciosamente para o seu quarto e fechou a porta. Sentado na sala, o homem ficou a meditar sobre o comportamento do filho e ainda se irritou mais. Como se atrevia ele a fazer-lhe perguntas daquelas? Como é que, ainda tão novo, já se preocupava em arranjar dinheiro?


Passada mais ou menos uma hora, já mais calmo, o homem começou a ficar com remorsos da sua reacção. Talvez o filho precisasse mesmo de comprar qualquer coisa com os 5 euros. Afinal, nem era costume o miúdo pedir-lhe dinheiro.

Dirigiu-se ao quarto do filho e abriu devagarinho a porta.

Já estas a dormir? Perguntou.

Não, papá, ainda estou acordado. - respondeu o miúdo.

Estive a pensar... Talvez tenha sido severo demais contigo? - disse o pai.
Tiveum longo e exaustivo dia e acabei por desabafar contigo. Toma lá os 5 euros que me pediste.

O rapazinho endireitou-se imediatamente na cama, sorrindo:

Oh, papá! Obrigado!

E levantando a almofada, pegou num frasco cheio de moedas. O pai, vendo que o rapaz afinal tinha dinheiro, começou novamente a ficar zangado.

O filho começou lentamente a contar o dinheiro, até que olhou para o pai.

Para que queres mais dinheiro se já tens aí esse? - resmungou o pai.

Porque não tinha o suficiente. Agora já tenho! - respondeu o miúdo.

Papá, agora já tenho 10 euros! Já posso comprar uma hora do teu tempo, não posso? Por favor, vem uma hora mais cedo amanhã. Gostava tanto de jantar contigo...

Copiado de um blog ao calhas, pois ete texto tem andado a passar de blog em blog e de mail em mail.


publicado por sandymia às 11:12

link do post | comentar | favorito
|

.mais sobre mim

.pesquisar

 

.Setembro 2008

Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab
1
2
3
4
5
6
7
8
9
10
11
12
13
14
15
17
18
19
20
21
22
23
24
25
26
27
28
29
30

.posts recentes

. Um dia

. Refresh

. Será que desta é de vez?

. Desculpem

. Multifacetada

. So this is Christmas

. É isso aí

. The Blower's Daughter

. Preocupação

. Triste

.arquivos

. Setembro 2008

. Fevereiro 2008

. Janeiro 2008

. Dezembro 2007

. Novembro 2007

. Outubro 2007

. Setembro 2007

. Agosto 2007

. Julho 2007

. Junho 2007

.links

.Contador


.de onde vens?

blogs SAPO

.subscrever feeds